Programação

Confira abaixo a programação atualizada ou baixe o arquivo em pdf.
23/10
O Governo Aberto que Queremos
Local: Edifício Matarazzo – auditório do 7º andar         Público: 300 pessoas

9h00 às 10h20

São Paulo Aberta: participação e transparência na Cidade que queremos
Fernando Haddad – Prefeito
Antonio Donato – Secretário Municipal de Governo
Mário Spinelli – Controlador-Geral do Município
Rogério Sottili – Secretário de Direitos Humanos e Cidadania
Sérgio Nogueira Seabra – Secretário de Transparência e Prevenção da Corrupção da Controladoria Geral da União (CGU)
Diogo de Sant’Ana– Secretário Executivo da Secretaria-Geral da Presidência da República
Gustavo Vidigal– Chefe de Gabinete da Secretário de Relações Internacionais e Federativas

10h30 às 12h30

Mesa de debates: O que se entende por governo aberto – novos paradigmas da relação Estado-sociedade civil
Marilena Chauí – Professora de Filosofia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP;
Benedito Barbosa – advogado da União dos Movimentos de Moradia;
Vera Masagão – Diretora Executiva da Associação Brasileira de Organizações Não-Governamentais (Abong);
João Antônio da Silva Filho – Secretário de Relações Governamentais
Debatedor/Comentador da mesa: Pablo Ortellado – Professor da Escola de Artes, Ciências e Humanidades – Universidade de São Paulo (EACH-USP)

14h00 às 16h00

Painel de Experiências: horizontes para um governo aberto no território
Educação como Desenvolvimento Local na Zona Leste:. articulação entre diretorias regionais de ensino, conselhos gestores, pesquisadores, organizações da sociedade civil e movimentos que atuam na Zona Leste; mais de 450 pessoas participam de GTs que constroem propostas para temas como educação, economia, segurança pública, saúde e ambiente – Professora Maria Cláudia Vieira Fernandes;
Cuidando do Meu Bairro: Mapeando dinheiro do orçamento público. Projeto oferece ferramentas para que a sociedade possa conhecer melhor a temática do orçamento público, exercer o controle e fiscalização dos gastos realizados em equipamentos públicos da cidade e promover ações concretas no seu bairro. Iniciativa do GPopai-USP

Gestão Urbana.SP – Plataforma digital desenvolvida pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Urbano (SMDU) para apoiar processo de revisão e construção do Plano Diretor da Cidade. Possui ferramentas para mapeamento colaborativo, consulta pública de projeto de lei e outras formas de construção participativa. Weber Sutti e Vinícius Russo (SMDU)

Movimento da infância: Articulação dos movimentos de infância nas regiões de São Paulo com o Conselho Municipal da Criança e do Adolescente. Flariston Francisco da Silva

Comentador das experiências: Euler Sandeville Júnior – Professor Associado da Universidade de São Paulo

16h30 às 18h00

Encerramento do dia Programação cultural – Emiliano Castro, violonista
24/10
Governo Aberto à Participação
Local: Auditório e Espaços de Convivência da Biblioteca Mário de Andrade, Praça Digital     Público: 175 pessoas

9h00 às 10h30

Auditório – Razões e Sentidos da Participação Social – por que a participação é fundamental para o governo aberto .
Joana Zylbersztajn – chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania
Frederico Soares de Lima – Coordenador da União dos Movimentos Populares da Cidade de São Paulo e Conselheiro Gestor da STS Penha
Anna Luiza Salles Souto – Instituto Pólis
Liane Lira – Coordenadora de Rede de Projetos do Acessa SP e integrante da Transparência Hacker
Comentadora da mesa: Luciana Tatagiba – Professora do Departamento de Ciência Política da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

11h00 às 12h30

Auditório – Sujeitos da participação: formas de mobilização e engajamento
Juliane Furno Levante Popular
Sonia Coelho – integrante da Marcha Mundial das Mulheres
Diego Rabatone – integrante da Transparência Hacker
Donizete Fernandes integrante do movimento de moradia
Debatedora/Comentadora: Beá Tibiriçá – Diretora do Coletivo Digital

14h00 às 16h00

Experiências
Participatório da Juventude – Observatório Participativo da Juventude é um ambiente virtual interativo, voltado à produção do conhecimento sobre/para/pela a juventude brasileira e à participação e mobilização social. Inspirado nas redes sociais, pretende promover espaços e discussões com foco nos temas ligados às políticas de juventude. Iniciativa da Sec. Nacional da Juventude, SGPr e Universidades – Severine Macedo (Secretária Nacional da Juventude)
De Olho nos Planos – metodologias para a construção participativa e o monitoramento de planos municipais de educação. O portal apoia e estimula o envolvimento das comunidades escolares, trabalhadores(as) da educação, estudantes, pesquisadores(as), gestores(as) e organizações da sociedade civil na elaboração de planos, além de disponibilizar ferramentas digitais de mapeamento e diagnóstico colaborativo. Iniciativa da Ação Educativa com apoio de Undime e Unicef. Denise Carreira, Ação Educativa.

#DialogoSPDH – Série de conversas com a população promovida pela SMDHC; já foram realizados encontros para a discussão de políticas para LGBT, juventude, migrantes e população de rua. Carla Borges, assessora especial da SMDHC.

Marcha da Consciência Negra: 10 anos de luta por uma sociedade sem racismo. Marcha que integrou diferentes movimentos em torno da questão de cotas e genocídio de negros. – Flavio Jorge Rodrigues, da SOWETO Organização Negra e Conen – Coordenação Nacional de Entidades Negras

Comentadora das experiências: Ana Claudia Chaves Teixeira – Núcleo de Pesquisas em Participação, Movimentos Sociais e Ação Coletiva (NEPAC) da Unicamp

16h30 às 18h00

“Polinização” – Atividades simultâneas
Café Hacker – CGM em parceria com Secretaria Municipal de Saúde, reunir movimento, jornalistas, pesquisadores e programadores para debater informações disponíveis na área da Saúde e as demandas por novas informações. Local: Auditório.
Café com Proposta – Momento que pretende discutir e colher subsídios para a elaboração de diretrizes e propostas para a Política Municipal de Participação Social. Serão 4 mesas discutindo e propondo diretrizes para participação. Local: Espaço de convivência.
25/10
Governo Aberto à Transparência e ao Controle Participativo
Local: Auditório e Espaços de Convivência da Biblioteca Mário de Andrade, Praça Digital     Público: 175 pessoas

9h00 às 10h30

Mesa de debates : Transparência ativa e dados abertos
Gisele Craveiro – Professora da da Escola de Artes, Ciências e Humanidades – Universidade de São Paulo (EACH-USP)
Cristiano Ferri – Analista legislativo da Câmara dos Deputados
Paula Martins – Coordenadora da ONG Artigo 19
Leandro Valquer de Oliveira – Vice-presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo
Comentador/Debatedor: Maurício Faria – Conselheiro do Tribunal de Contas do Município de São Paulo

11h00 às 12h30

Mesa de debates: Controle participativo, monitoramento de políticas e prevenção da corrupção
Raquel Moreno – Observatório da Mulher
Fabiano Angélico – Coordenador de Promoção da Integridade da Controladoria Geral do Município (CGM)
Clara Meyer Cabral – Coordenadora de Indicadores e Pesquisas da Rede Nossa São Paulo
Comentador/Debatedor: Wagner Romão – professor do Departamento de Antropologia, Política e Filosofia da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista (Unesp)

14h00 às 16h00

Exposição de experiências sobre transparência e controle social
Auditoria Participativa – Neste tipo de auditoria é a sociedade quem indica quais são os fatos críticos em relação ao objeto auditado e quais seriam as melhores soluções. O auditor evidencia as percepções e as avalia tecnicamente, indicando caminhos. Secretaria de Controle Interno da Presidência da República (CISET/PR). André Luiz Marini Chagas
Catálogo de Bases e Sistemas de Dados – Inovação do Decreto Estadual que regulamenta a Lei de Acesso à Informação em São Paulo, o CSBD reúne informações sobre todas as bases de dados que estão sob guarda do Governo Estadual. Organizado pela Fundação SEADE.

Parceria para o Governo Aberto (OGP) – Mecanismos de Diálogo e envolvimento da sociedade na construção e monitoramento de Planos de Ação do Brasil na OGP. Fernanda Machiavelli – SGPr

Cidade Democrática– Plataforma colaborativa para que cidadãos possam propor e construir soluções para as cidades. Henrique Parra

Comentador das experiências: Ségio Amadeu – Professor adjunto da Universidade Federal do ABC (UFABC)

16h30 às 18h00

“Polinização” – Atividades simultâneas
Café Hacker – Promovido pela Controladoria Geral do Município, encontro com jornalistas, pesquisadores, programadores e ativistas para discutir melhorias para o Portal da Transparência. Local: Auditório
Café com Proposta– Momento que pretende discutir e colher subsídios para a elaboração de propostas e diretrizes para o Plano de Transparência Ativa de São Paulo. Local: Espaço de convivência.
25/10
Abertura da Hackatona do Ônibus
Local: Local: Auditório da Biblioteca Mário de Andrade

19h00 às 20h30

Abertura da Hackatona do Ônibus
26/10 e 27/10
Hackatona do Ônibus
Fechado à participação de equipes selecionadas. Inscrições de projetos até 18 de outubro.
Viver a cidade que a gente ama. Fazer a São Paulo que a gente quer.
www.prefeitura.sp.gov.br